Campeões Nacionais 2014/2015

Campeões Nacionais 2014/2015

Siga-nos no Facebook

sábado, 3 de dezembro de 2016

O caminho faz-se caminhando...

Nunca ninguém disse que o caminho para a conquista do titulo seria fácil e a prova disso é que o Benfica é tri-campeão e foi sempre campeão na último ou penúltima jornada, aliás, os 5 títulos conquistados na "era Vieira", só conseguimos carimbar a conquista do campeonato na penúltima ou na última jornada. O máximo de pontos de vantagem que conseguimos sobre o segundo classificado foi de 7 pontos, de resto foi de 5 pontos para baixo, o que demonstra que para sermos campeões temos de sofrer sempre até ao fim.

Já por várias vezes que o Benfica pode "matar" o campeonato" ou desferir um duro golpe ao adversário directo e faz exactamente o oposto. Ontem não foi diferente!! Quando temos na próxima jornada um derbi com o Sporting onde podemos quase que "matar" o lagartedo, o que fazemos na jornada imediatamente anterior é dar-lhes um balão de oxigénio e uma motivação extra. Aos do Norte simplesmente estamos a ressuscitá-los para entrarem também eles na luta pelo titulo quando a hecatombe estava próxima.

Podem dar as piruetas que quiserem dar mas o facto indesmentível nisto tudo, e se os nossos rivais vencerem os seus jogos de hoje, é que na próxima jornada uma derrota nossa significará a entrega do primeiro lugar aos lagartos e ficaremos com os do Norte somente a 1 ponto, depois de vantagens de 7 pontos sobre o segundo classificado.

E mais... O registo de RV em duelos com os rivais é um pobreza em toda a linha... Vencemos somente 1 dos jogos e em todos eles fomos completamente dominados, excepção feita ao jogo que perdemos com os do Norte em que fizemos um belo jogo. Portanto, o saldo é tremendamente negativo e se o jogo do Nápoles correr mal chegaremos ao jogo com o Sporting completamente de rastos, mental e fisicamente.

Se há altura para "apalpar o pulso" a esta equipa e a RV é agora... Dois jogos de enorme importância, duas vitórias farão com que a derrota da Madeira não tenha passado de um simples deslize, duas derrotas poderão levar a que se comece a questionar muita coisa nesta equipa.

Eu quero acreditar que venceremos os dois jogos mas sinceramente, não estou nada confiante. O jogo de Nápoles seria importante vencer até pelo factor de confiança mas se me pedissem qual o jogo a perder eu escolheria o de Nápoles, sem qualquer dúvida.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Inadmissível!!!

Esta derrotas é inadmissível!! Antes de recebermos o Sporting, onde poderíamos matá-los, perdemos um jogo e demos um balão de oxigénio aos lagartos e ressuscitámos os dragões, isto se vencerem os seus jogos.

A abordagem a este jogo foi absolutamente lamentável!! Não vale a pena tecer muitos mais comentários. Dois jogadores que custaram mais de 30 milhões falharam dois golos que simplesmente não se podem falhar!!!

A leitura de jogo e as substituições do RV foram, mais uma vez, inócuas e demonstraram, mais uma vez, uma leitura errada do que se estava a passar. Parece que hoje combinaram todos e tiraram umas férias...

O cenário é simples... Se nesta e na próxima jornada os nossos adversários vencerem os seus jogos, de 5 e 7 pontos de vantagem sobre eles, ficaremos em segundo a 1 ponto dos lagartos,que injecção de moral, e o Porto fica a 1 ponto de nós, ganhando uma segunda vida.

Agora, o RV que pense muito bem quais são as prioridades... Se é apostar na qualificação para os oitavos das Champions ou apostar as fichas num jogo de enorme importância na Luz contra o Sporting... Não acredito que tenhamos pernas para fazer dois jogos seguidos de alta intensidade, até porque acredito que o JJ vai rodar a equipa contra o Légia...

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Do céu ao inferno em 45 minutos...

Meus caros, a coisa é fácil de resumir e espero, assim como acredito, que o Rui Vitória aprenda com o que aconteceu hoje.
O que aconteceu hoje além de deslumbramento de estar a vencer na Turquia por 3-0 ao intervalo, hoje, REPITO, HOJE, o Rui Vitória não esteve à altura. O Rui Vitória hoje demonstrou que ainda tem muito que aprender e espero que o faça perante o que aconteceu hoje.

A forma como mexeu na equipa foi absolutamente errada. Simplesmente não leu bem o jogo e não percebeu o que tinha de fazer. Mais uma vez o Salvio na segunda parte perde "andamento" e não consegue dar o devido apoio ao Nelson Semedo, no entanto, faz os 95 minutos...

O que Rui Vitória deveria ter feito era muito simples... Assim que sofremos o 3-1 deveria colocar mais um médio para parar o jogo do Besiktas e conseguir fazer mias circulação de bola. Eu tinha feito sair Salvio e teria feito entrar Samaris. Jogaria num 4x2x3x1 com Pizzi no vértice mais adiantado e Guedes na ala. A segunda substituição seria para tirar Mitroglou e colocar Rafa/Carrillo com Guedes a a fazer de ponta de lança solto na frente. Com uma frente de ataque composta por jogadores muito rápidos como Guedes, Cervi e Rafa com Pizzi a fazer a ligação entre o meio cmapo e ataque, acredito que conseguíssemos fazer mais um golo. A terceira substituição seria tirar Guedes/Cervi e colocar o Jimenez.

Continuo a dizer que o Benfica deveria ser uma equipa com capacidade para ter mais bola de forma a conseguir "congelar" o jogo quando nos encontramos em vantagem e o Benfica nunca o consegue fazer, e não é de agora...

Para mim, este resultado é um total fracasso!! Para mim equivale a uma derrota!!! Queor lembrar que estávamos a ganhar 3-0 num terreno difícil mas que estávamos a defrontar um Besiktas, não era nenhum Real Madrid, Dortmund, Bayern ou assim... Estar a vencer por 3-0 ao intervalo e acabarmos por empatar o jogo a este nível não se admite. Tivemos a qualificação nas mãos mas deixamo-la fugir e agora temos de vencer em nossa casa o Nápoles, claramente superior ao Besiktas e que não pode perder, tudo isto antes dum clássico. Assim, temos de apostar tudo em Nápoles e postar tudo contra as "cuspideiras" quando poderíamos fazer descansar alguns jogadores no jogo com o Nápoles.

Que este jogo sirva de exemplo para o futuro.

Vem aí o jogo com as "cuspideiras", espero sinceramente que acabem aqueles jogos em que jogamos encolhidinhos lá atrás à procura duma transição rápida. Espero que o Benfica tenha a capacidade de assumir o jogo e ter uma postura dominante na partida e que vençamos o derbi. Mas antes ainda temos o Moreirense e o jogo de morte ou de vida com o Nápoles...


domingo, 20 de novembro de 2016

Massacre!!!

O mote tem de ser este!!! Focados em nós e nos nossos jogos!!! As palavras do Guedes no final dizem tudo... "Já tínhamos saudades de jogarmos!!" É este o espírito que reina no nosso balneário!! Sempre a pensar no jogo seguinte, sempre a pensar em família, em grupo, em união, em alegria em jogar!! Tem sido este o segredo!!

Ontem vencemos por 6 mas podíamos ter vencido por 10 tal foi o domínio avassalador da equipa do Benfica. Isto tudo sem Grimaldo, sem Jardel, sem Fejsa, sem Jonas, com Rafa a meio gás, com um menino de 19 anos na frente de ataque, com um recém-chegado Cervi na esquerda. Jogue quem jogar nota-se que a equipa mantém a sua ideia de jogo e a sua qualidade. Nota-se que aqueles que menos têm jogado, quando jogam fazem-no com uma alegria e qualidade enorme, não é Eliseu?

Não vale a pena estar aqui a individualizar porque todos estiveram a um grande nível!!

Mantenham esta postura, esta concentração, esta qualidade, esta humildade, este respeito por TODOS os adversários, este profissionalismo e esta atitude e seremos campeões.

No entanto iremos jogar novamente contra o Marítimo parta o campeonato  e que este jogo não sirva para pensarem que será fácil porque, cada jogo é um jogo diferente, tem uma história diferente. Encarem-no como o fizeram neste e estarão sempre mais perto da vitória!!!

CARREGA BENFICA!!!!

#RUMOAO36

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Os recordes de Vitória(s)



Portugal 31 de Outubro de 2016

A vitória em Belém mereceu rasgados elogios da crítica desportiva em função da queda de um recorde bem antigo que pertencia a Jimmy Hagan, e que se traduzia por 15 vitórias fora de casa e que agora passou para 16. Se considerarmos que nessa série de vitórias fora se inclui um, dos dois rivais históricos, SCP, não se pode menosprezar a importância deste recorde.
A vitória sobre o Paços de Ferreira veio dar mais um recorde, o recorde de pontos à 9ª jornada, 25, desde que a vitória passou a valer 3 pontos.
Qualquer recorde é algo sempre positivo. Pela confiança que traz à equipa técnica, aos jogadores e em particular aos sócios e adeptos. A grandeza da equipa depende muito dos resultados e do apoio dos adeptos, sendo que uns podem motivar os outros, e vice-versa. Sem resultados é difícil ter o apoio dos adeptos. Mas sem o apoio dos adeptos é mais difícil ter resultados. Há uma química própria do futebol que não tendo leis científicas a defini-la, no entanto funciona de modo quase inexplicável. E claro, outro condimento necessário a esta “reacção química” é a comunicação social, a tal que pode transformar um mau resultado, num resultado afinal não tão mau como isso.
Sem dúvida que o grande mérito destes recordes pertencem ao treinador e equipa técnica, porque são eles quem define o modelo de jogo, quem decide através da táctica como se deve anular o jogo do adversário, quem faz a gestão do jogo com o instante em que se fazem as substituições dos jogadores mais cansados ou em menor rendimento. Para além da liderança, neste caso mérito do treinador, que é fundamental para os jogadores reconhecerem com naturalidade essa superioridade do treinador e assim poderem colocar em campo, de forma mais eficaz, toda a sua valia técnica, individual e colectiva.
O objectivo deste texto é por um lado reconhecer em Rui Vitória o grande artífice da conquista do anterior campeonato e também como grande responsável do actual momento da equipa, apenas beliscado pelo empate caseiro frente ao Setúbal. Embora tenha discordado da forma como chegou ao Benfica (ninguém no seu perfeito juízo troca um treinador bicampeão por um treinador sem provas dadas) deve dar-se mérito a quem o merece, e ele tem feito tudo para o merecer, embora também ajudado por factores imprevisíveis como foi o aparecimento de Renato Sanches (vitamina R como aqui escrevi, hoje “golden boy”) após lesão e castigos de vários jogadores importantes na manobra da equipa (e se não tivesse havido essas lesões e castigos?), ou a própria comunicação deficiente do SCP e do mesmo treinador que continua sem perceber o poder construtivo ou destrutivo da mensagem. E ele capricha no aspecto destrutivo da mensagem.
Mas também quero registar, com alguma surpresa, que ainda não vi a “estrutura” reclamar méritos no actual momento do futebol, fosse pelos assessores, avençados dos programas dos trios, dirigentes da SAD ou do próprio “faz-que-é” presidente. É um pouco estranho para quem sempre reclamou a quota-parte do sucesso dos títulos de Jesus.
Enfim, com o tempo poderemos perceber melhor esta nova atitude da “estrutura” e perceber se esta “humildade” na acção é ou não sincera e genuína.
Como rodapé, o fim-de-semana aprovou que o FCP e o SCP podem perder pontos com equipas a quem tínhamos ganho (Nacional) ou com quem tínhamos perdido pontos também (Setúbal). Assim o desempenho da nossa equipa em comparação directa com os rivais, aumentou. E isso é um parâmetro positivo nas contas finais do título.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Comunicado do Benfica

"Na sequência de notícias vindas a público sobre o processo de investigação em curso no âmbito do denominado “Caso dos Vouchers”, o Sport Lisboa e Benfica, esclarece:
1 – Quando tomou conhecimento sobre o conjunto de insinuações e acusações proferidas pelo presidente do SCP no programa “Prolongamento” da TVI 24, no dia 5 de outubro de 2015, o Sport Lisboa e Benfica, por sua iniciativa expressa e pronta, solicitou à Federação Portuguesa de Futebol que remetesse uma participação às instâncias competentes, visando promover a averiguação da situação referida no mais curto espaço de tempo.
2 – Em consequência direta, foram instaurados diversos processos tanto na esfera disciplinar como na esfera criminal, visando quer o apuramento dos factos denunciados, quer a responsabilidade de quem de forma insidiosa tentou, e tenta, denegrir o bom nome e imagem do Sport Lisboa e Benfica.
3 – O Sport Lisboa e Benfica reitera o seu empenho que a exemplo do realizado e já concretizado nos órgãos próprios das instâncias desportivas, exista um cabal esclarecimento e célere decisão sobre este processo por parte das entidades competentes.
4 – O Sport Lisboa e Benfica contribuirá para que o processo decorra com a necessária discrição, sem qualquer tipo de condicionamento (ou tentativa) dos órgãos decisórios, sendo perfeitamente natural e desejável que ocorram várias diligências no âmbito do referido processo, fator determinante para que a análise dos factos seja totalmente esclarecedora, pondo fim a especulações que reiteramos serem totalmente descabidas.  
Lisboa, 18 outubro 2016"
Resumindo, quem não deve não teme!! O Benfica actuou como devia ser e este processo todo vai ser determinante no processo civil que o Benfica moveu contra o Sporting e seu presidente. Sendo o processo arquivado, como irá ser, o Benfica poderá usar isso como prova em seu favor de forma a condenar o Sporting e o seu presidente.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Correctivo...



Portugal 30 de Setembro de 2016

Não me esqueci da parte 2 do último texto intitulado “Rafa”didos. Infelizmente por razões pessoais, profissionais, férias, trabalho a dobrar e como tal muito pouca disponibilidade de tempo e muito pouca motivação, não consegui ainda concluir o raciocínio inserido nesse assunto.
Para escrever é preciso motivação. E confesso que a minha resiliência à máquina da mentira que se instalou no Benfica, tem diminuído. A luta é desigual, porque os meios são desiguais. Por outro lado não serei eu que vou mudar o “mundo” e muito menos o Benfica. O Benfica é dos sócios e adeptos, e se estes continuam a achar bem os relatórios de contas que acumulam no passivo as dívidas reais, mascarando com subidas das garantias de pagamento que são os activos, sabendo que no limite, para pagar as dívidas reais do passivo bancário, o Benfica teria de vender os activos do tipo, jogadores ou estádio e assim deixar de jogar futebol que é a principal razão de existir do clube, enfim, não serei eu a barrar o caminho com as minhas opiniões.
Bom, mas a Champions deu-me a “pica” suficiente para que eu arranjasse um “tempinho” e escrevesse sobre a primeira derrota da época em jogos oficiais.
Levamos um forte “correctivo” futebolístico quando o resultado chegou aos 4-0. Um correctivo que por vezes é importante para abanar a letargia em que vamos sentindo e respirando o Benfica, um correctivo que devia fazer pensar como se preparam e planeiam as épocas desportivas do Benfica. Para variar isso não será feito.
E não será feito porque a comunicação social afecta a este “sistema” que manda no futebol, com a inegável colaboração do grupo e meios do Sr.º Joaquim Oliveira e parceiros, este “sistema” que promove o Sr.º Vieira como um dos deles, logo inatacável, este “sistema” já encontrou a explicação: os erros do Júlio César e as bolas paradas.
Não surpreende. Com Roberto era igual, só que era todas as semanas.
Culpar um jogador é truque velho, culpar o guarda-redes é sempre o mais fácil. Contudo o mais difícil é explicar porque se concedem cantos, porque se concedem faltas que permitem que a bola vá para cima da baliza, porque se permite que os adversários entrem na área sem marcação, etc. Porque no fundo teríamos de analisar o modelo táctico de jogo e os jogadores escolhidos para o realizarem. Isso é mais difícil e pode por em causa a Direcção, ou melhor, o Sr.º Vieira, que compra e vende jogadores como se de matraquilhos se tratasse, contando com a prestimosa ajuda da comunicação social para passar a ideia que “o Benfica tem de vender todos os anos” e os “reforços contratados dão todas as garantias”. Falsidades umas atrás das outras.
É certo que Júlio César pode ter estado mal na conclusão das jogadas que deram no 3º e 4º golo, mas a equipa foi colectivamente responsável pelo 1º e 2º golo que alteraram os parâmetros mentais (confiança, serenidade, etc.) dos jogadores e parâmetros tácticos da equipa, como também foi a equipa a responsável pela descoordenação que permitiu erros que resultaram no penalty para o 3º golo ou o cruzamento para o 4º golo.
Pessoalmente, concordo com o modelo táctico inicial, 4-2-3-1, por ser um modelo que permite uma certa compacidade e reactividade à equipa, mas também por ter sido o modelo mais usado por de Mourinho no Real Madrid.
Mas critico os jogadores escolhidos, em particular a “troika” do meio campo, Pizzi, André Horta e Carrillo. Pizzi foi suplente na vitória no ano passado em casa do Atlético, enquanto nessa altura Gonçalo Guedes e Sálvio foram titulares mas ontem foram suplentes, porque – com grande certeza - têm de deixar jogar os novos “reforços”, as “negociatas” de Vieira para que fique claro que são mesmo “reforços” e não as negociatas que sabemos que são. O resultado desta opção foi a “permeabilidade” sistemática nessa zona nevrálgica do campo, porque se trata de jogadores de qualidade mediana, uns sem físico, outros sem motivação, enfim, são contratações para agradar a empresários amigos e quiçá receber algum através dos off-shores...
Não podemos contudo desvalorizar o valor do Nápoles que tem um plantel superior em qualidade ao nosso. Nós apenas lhe ganhamos na “alma” que é imensa mas não marca golos! No resto temos de nos reduzir ao nosso lugarzinho, graças à gestão de Vieira, esse mesmo que em 2003 vaticinou: “daqui a 2 anos vamos dar cartas por essa Europa fora”. Alguém reparou que havia eleições a seguir onde ele foi eleito pela primeira vez? Pois a demagogia, mentira e omissão, tem sido a imagem de marca dele, desde esse ano até agora... Por isso nada nos pode surpreender no futebol da nossa equipa...

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Taliscada

Antes de mais não posso deixar de referir entrámos e acabámos o jogo com 7 jogadores dos 23 anos para baixo...

Ederson - 23 anos
Grimaldo - 20 anos
Nelson Semedo - 22 anos
Lindelöf - 22 anos
André Horta - 19 anos
Celis - 23 anos
Gonçalo Guedes - 19 anos

A média de idades no nosso 11 durante o jogo todo foi de 23 anos.

Se alguém souber se isto é inédito na Champions que diga...

Isto parece ser coisa menor mas não é, principalmente num jogo de Champions e a vencermos só pela diferença de 1 golo. Os miúdos não souberam, ou não conseguiram, controlar o jogo, baixar o ritmo do jogo, pausar o jogo, jogamos sempre na vertigem e com outros intervinientes a gestão do jogo seria outra.

Não podemos também esquecer que não temos o Jardel, André Almeida, Rafa, Zivkovic, Mitrogolo e Jonas e só aqui estão 5 titulares, quase meia equipa...

Não esquecer que não jogámos com um verdadeiro ponta de lança e isso faz a diferença porque nunca houve ninguém com capacidade para segurar a bola e esperar que a equipa subisse, por isso a equipa esteve partida em muitos momentos do jogo e como tal, nunca conseguimos ter o controlo do jogo.

A nossa primeira parte foi boa, fomos melhores, fomos mais eficientes na posse de bola mas na segunda parte entregámos o jogo ao Besiktas que foi sempre mais perigoso.

O Guedes teve nos pés o golo que "mataria" o jogo mas... São 19 anos... Quem não faz golo num lance daqueles está sujeito ao que aconteceu ao minuto 93.

Sofremos a acabar o jogo mas o golo doeu a dobrar porque foi marcado por Talisca, que foi dispensado... Aquele pé esquerdo é fabuloso e aquela bola ali é um penalti para ele... Que pena que o Quaresma tenha deixado o baiano bater o livre.

Continuo a achar que Talisca seria, para mim, o substituto natural do Jonas e que para mim teria ficado no plantel.

Quantos ás declarações que fez no pós-jogo, deixarei para outro texto.

Este jogo era para vencer porque somos claramente melhores que eles mas neste momento estamos muito condicionados nas opções e estamos a jogar com uma equipa muito jovem e isso paga-se muito caro.



domingo, 11 de setembro de 2016

Parabéns ao Sporting pelo excelente scouting...

O verdadeiro campeão do período de transferências foi, sem margem para dúvidas, o Sporting!!!



O jovem jogador da direita tem sido aquele que tem tido mais influência neste campeonato!! O jovem chama-se Alexandre e é filho do Fontelas Gomes, presidente do CA da FPF.

Foi, sem dúvida, uma grande manobra no mercado!! Sem esta manobra o Sporting teria neste momento, no mínimo, menos 5 pontos na tabela mas a mãozinha que  Fontela tem dado tem ajudado bastante...




sábado, 3 de setembro de 2016

Vá-se lá entender alguns Benfiquistas...

Para alguns Benfiquistas pagar 17 milhões por Rafa, depois de duas épocas brilhantes ao serviço do "quarto grande" em Portugal onde venceu uma Taça de Portugal, é internacional A por Portugal e foi Campeão europeu é um exagero mas vender o Bernardo Silva e o Cancelo por 15 milhões quando pouco ou nada tinham jogado no Benfica e na primeira liga é pouco e muitos foram aqueles que criticaram o negócio...

Fosse o Benfica a vender o Rafa por 17 milhões e os mesmos que agora acham 17 demasiado, achariam pouco...

Para mim, foi uma fantástica aquisição!!!!